info

Turismo Pedagógico

O museu desenvolve, há anos, grandes projetos de educação patrimonial direcionados a alunos das redes públicas de ensino. Até meados de 2015, foram beneficiados cerca de 20 mil alunos de municípios da Região dos Inconfidentes. Esses projetos possuem a aprovação das Secretarias de Educação dos municípios envolvidos e são desenvolvidos sob patrocínios oriundos das leis de Incentivo à Cultura (federal e estadual), tendo merecido destaque nos Encontros Nacionais de Educação Patrimonial (ENEP), realizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O projeto aplicado no Museu das Reduções viabiliza o espaço para prática da educação patrimonial aproveitando o conteúdo inter e multidisciplinar que o acervo oferece no auxílio da aprendizagem curricular. Destinado, principalmente, a alunos do 4° ao 6º ano do ensino fundamental, visa conscientizar jovens sobre a importância da preservação do patrimônio, despertar maior interesse pelas disciplinas curriculares, através de didática nova e dinâmica. O Museu das Reduções é fruto da criatividade, da arte e do trabalho de 04 irmãos mineiros: Ênnio, Sylvia, Décio e Evangelina Vilhena, conhecidos como IRMÃOS VILHENA. Nas primeiras décadas do século XX os Irmãos Vilhena, após se aposentarem, puseram-se a trabalhar pela preservação da memória arquitetônica nacional, pela difusão da arte e da cultura e pelo desenvolvimento humano e social. Assim, criaram ferramentas, formas e técnicas especiais para reproduzirem, em escala reduzida (1:25), monumentos arquitetônicos brasileiros que foram indicados pelas Secretarias de Cultura dos Estados. São 29 réplicas de 15 Estados e 24 Municípios. Os irmãos utilizaram os mesmos materiais empregados nas edificações originais, sem materiais sintéticos e/ou industrializados, o que diferencia o acervo do Museu das Reduções dos demais acervos dos parques temáticos correlatos que existem pelo mundo. O que os Irmãos Vilhena não imaginavam é que estariam legando à posteridade um acervo com enorme e impressionante conteúdo pedagógico. Com o passar dos anos a diretoria do Museu das Reduções, em conjunto com professores de diversas áreas, foram descobrindo várias possibilidades para a aplicação em diversas disciplinas utilizando as réplicas do acervo. Dentre elas, podemos destacar: A HISTÓRIA: a evolução da arquitetura brasileira, já que o Museu conta com réplicas que vão desde o século XVI até o modernismo de Niemeyer no século XX. Encontramos, também, reduções que representam importantes momentos históricos do País, como o ciclo do ouro, da cana de açúcar e do café. Além das influências das colonizações nas edificações, na cultura, na arte, etc.; A GEOGRAFIA: é outra disciplina que pode ser trabalhada no Museu uma vez que o acervo é estrategicamente dividido por regiões brasileiras; A CIÊNCIA: é abordada, principalmente, em torno da geração de energia hidrelétrica, utilizado para isso, a réplica da primeira usina hidrelétrica da América Latina, Marmelos Zero, em Juiz de Fora, MG; AS ARTES: representadas pelo próprio trabalho dos Irmãos Vilhena, pois devido à riqueza e ao requinte de detalhes, as peças são consideradas, pelos mais renomados especialistas, verdadeiras obras de arte; A MATEMÁTICA: abordada através da escala, razão e proporção e as diversas formas geométricas encontradas/aplicadas nas réplicas.


Educandocomarte

Torne-se Um patrocinador